Conheça 7 tipos de vegetarianismo

 em Área Biológica Educação Superior, Educação superior, Textos Área Biológica Educação Superior

O vegetarianismo consiste no consumo de alimentos apenas de origem vegetal, incluindo ou não o consumo de ovos e laticínios.

Dependendo do que não faz parte da alimentação vegetariana, o vegetarianismo pode ser dividido de diversas formas, como o lactovegetariano e o ovovegetariano. O que todos eles têm em comum é que nenhum come carne. Aliás, o Dia Mundial Sem Carne, que ocorre sempre em 20 de março desde 1985, é uma data consagrada no calendário do movimento vegetariano, segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira.

Conheça 7 tipos de vegetarianismo e entenda suas diferenças a seguir!

Vegetariano estrito: não ingere nenhum tipo de carne, inclusive peixe e frango.
Ovolactovegetarianismo: não há consumo de nenhum tipo de carne, mas há de ovos e laticínios.
Lactovegetarianismo: não come carne ou ovo, mas consome laticínios, como iogurte, leite e queijos.
Ovovegetarianismo: come ovo, mas não come nenhum tipo de carne ou laticínios.
Veganismo: não consome nada que tenha proteína animal, inclusive mel. Além disso, o vegano se preocupa com outros elementos, como cosméticos que contenham ingrediente de origem animal na composição e roupas feitas de lã, seda e couro.
Crudívoro: se alimenta apenas de comida crua ou feita em temperatura máxima de 42 graus. Isso é para não alterar as propriedades dos alimentos.
Frugívoro: consome fruta, verdura, legume, cereais e oleaginosas.

Assista ao vídeo e saiba mais!

Você sabe a diferença entre vegetarianos e veganos?

Como o vegetariano substitui os nutrientes da carne vermelha?

Leguminosas: na alimentação vegetariana, elas são fonte de substituição da proteína anima — Foto: Reprodução/Unsplash

Leguminosas: na alimentação vegetariana, elas são fonte de substituição da proteína anima — Foto: Reprodução/Unsplash

Conforme o nutrólogo Eric Slywitch explica no Mais Você, a alimentação vegetariana é eficaz para baixar os níveis de colesterol, pode reduzir a diabetes e até câncer de origem gastrointestinal:

“A dieta vegetariana é endossada pela American Heart Association (Associação Americana do Coração) como uma intervenção não medicamentosa eficaz para baixar os níveis de colesterol. Os estudos mostram que tem redução de diabetes de 35 a 75% na população vegetariana. Quando a pessoa retira as carnes, tem redução de câncer de ordem gastrointestinal. E quando retira laticínios e ovos, tem redução de todos os tipos de câncer.”

Segundo o médico, não é difícil substituir a proteína animal pela vegetal. A lentilha, o grão-de-bico e as leguminosas em geral são as opções de substituição. “São produtos que são mais ou menos equivalentes [às carnes]. Um erro comum é trocar as proteínas animais por cogumelos, que não são fontes proteicas”, afirma o especialista.

Ainda de acordo com o nutrólogo, a dieta vegetariana pode ser inserida na vida de crianças, adultos e grávidas, mas sempre consultando um médico e nutricionista antes de qualquer coisa. “A nossa questão é que ela deve ser equilibrada. O maior cuidado que a gente deve ter é a inserção de suplemento de vitamina B12 no cardápio”, destaca o profissional.

Como montar um prato vegetariano?

Como montar um prato vegetariano: nutrólogo ensina maneira correta para ter todos os nutrientes — Foto: Globo

Como montar um prato vegetariano: nutrólogo ensina maneira correta para ter todos os nutrientes — Foto: Globo

O nutrólogo Eric Slywitch sugere o seguinte na hora de montar um prato vegetariano corretamente:

Metade do prato fica com legumes e verduras
Um quarto do prato fica com as leguminosas, que são a principal substituição da proteína animal
E o outro quarto do prato fica com os cereais, como arroz ou macarrão

 

Postagens Recentes

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar