Harvard com 11 anos e 40 idiomas. A curiosa vida de William Sidis, o homem mais inteligente da história

 na categoria Desques, Ensino Médio, História Ensino Médio, Texto História Ensino Médio

POR Joel Paviotti

Nascido em Boston, Estados Unidos, no anos de 1898, William Sidis foi considerado o homem mais inteligente da história da humanidade.
Com QI de 250, aprendeu a ler com menos de dois anos de idade, entrou em Harvard com 11 anos e virou professor da famosa instituição aos 16. Aos 20, ele dominava 40 idiomas.
Sidis, após alguns anos lecionando, resolveu que não queria mais saber da academia e dos estudos universitários, se sentia traumatizado por ter sido explorado midiaticamente como criança prodígio, então abandonou a universidade e ingressou em vários empregos que valorizavam a força braçal, como chapeiro em restaurantes, operário da construção civil e na indústria metalúrgica. Foi preso e condenado a pena de 18 meses em regime fechado por ter participado de manifestações socialistas e declarado que não acreditava em Deus.
No tempo livre, estudava a história de Boston, cidade na qual residia, cosmologia e ideias libertárias.

Andava com casaco no verão e roupas leves no frio.
Siddis preferiu levar uma vida reclusa dos grandes centros acadêmicos e da fama. Nunca se interessou por sexo ou qualquer tipo de relacionamento amoroso.
Foi considerado, nos Estados Unidos, um “Loser”, por ter feito tais escolhas. Faleceu com 46 anos de hemorragia cerebral.
Infelizmente, a história do gênio tem sido usada por coaches para tentar expor, segundo eles, como a falta de exploração do potencial pode levar pessoas inteligentes e promissoras para um caminho de “perdedor”.
Referências

The Rise and Fall of William J. Sidis


https://amenteemaravilhosa.com.br/william-james-sidis/
http://polimatismoautodidata.blogspot.com/2013/01/conhecendo-o-verdadeiro-william-sidis.html
https://www.americanheritage.com/william-james-sidis
ARIAL

What do you want to do ?

New mail

Postagens Recentes

Digite o que procura e aperte a tecla Enter para pesquisar